CALMA E PACIÊNCIA PARA TODOS!

Nos últimos tempos, tenho falado menos e observado muito mais.

 

Algo que tem chamado minha atenção é a ansiedade das pessoas, independentemente da idade que este ser humano tenha.

 

Verificando o conceito da palavra ansiedade vemos que referido substantivo feminino está relacionado a desconforto físico e psíquico, agonia, aflição, angústia, impaciência, receio, medo, ausência de tranquilidade e por aí vai.

 

Estudando a ansiedade, verifica-se também que ela é uma condição emocional de sofrimento, definida pela expectativa de que algo inesperado e perigoso aconteça, diante da qual a pessoa se acha indefesa.

 

Aprendi com especialistas que depressão está relacionada a fatos passados/pretéritos e ansiedade tem haver com desconforto pelo que ainda está por vir, ou seja está relacionado ao futuro; sendo que nenhum dos dois cenários é bom ou confortável, muito pelo contrário.

 

Feitas estas observações iniciais, digo que seria espetacular se fosse possível atingir um estado de calma profunda e duradoura; porém em se tratando de realidade e de pessoas esse simples desejo de manter a calma por longo período de tempo pode se tornar uma grande fonte de inquietação.

 

Observando as pessoas, vejo que esta inquietação a que me referi no parágrafo anterior é algo geral e acredito que inevitável da condição humana. Adicionado a isto acredito que seja inadequado pensar ser possível eliminar totalmente a ansiedade de nossas vidas.

 

Por que inadequado? Porque penso que a ansiedade é algo relacionado com o nosso existencial, por isso é importante uma vez tendo consciência que a ansiedade existe e é meio que parte de nós, não deixar que ela pegue boa parte de nosso tempo de vida, que é, no meu entender, nosso maior capital.

 

Acredito que deixar a ansiedade aflorar demasiadamente não é algo bom e inteligente, devemos aprender a domá-la e administrá-la; já que ela desaparecer é algo bastante improvável, sob minha perspectiva de entender as coisas face ao que já vivenciei, vi e estudei acerca deste tema.

 

Nos deixando torturar por essa tal ansiedade, nos tornamos vítimas de fantasias, ilusões, expectativas poderosas sobre o que poderia afinal nos trazer a calma.

 

E tenho vários exemplos: se você mora em um lugar frio, essas expectativas podem estar ligadas a ir para lugares ensolarados (viagens), ou ainda se sua casa não é como deseja, a expectativa pode ter haver com quando a casa ficar realmente como queremos; sem bagunça, paredes limpíssimas, com uma bela piscina rodeada de um lindo jardim, com uma bancada de eletrodomésticos novos e lindos, etc.

 

Ou talvez quando, um dia chegarmos ao cargo certo na empresa, ou quando lançarmos um filme de sucesso, um livro de sucesso, ou ainda quando encontrarmos o amor das nossas vidas, o par perfeito.

 

Penso que apesar destas expectativas tão almejadas por todos e geralmente relacionadas com viagens, beleza, status e amor, penso que haverá ansiedade na praia, na casa limpíssima e bem montada, também haverá ansiedade ao lado de uma pessoa importante para nós, ou seja, por mais que tentemos evitá-la ela pode aparecer, pois como disse anteriormente penso que a ansiedade é parte da nossa condição de humanos.

 

Penso também que o grande ponto a perseguir é aceitar que a ansiedade existe e está entre nós e administrá-la da melhor e mais sábia forma que pudermos é algo muito inteligente de nossa parte. Aí vocês podem me questionar como? Vivendo o presente e prestando muita atenção nas escolhas que fazemos! Não fiquemos presos ao passado e nem vivendo um futuro, por meio de fantasias, ilusões e expectativas que ainda não aconteceram e nem sabemos se acontecerão.

 

Escrevendo este breve texto, lembrei dessa música muito inteligente do Lenine, Paciência, cuja letra compartilho com todos vocês.

 

Nestes tempos que vivemos, desejo muita calma e paciência para todos!

 

Paciência

Lenine

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso, faço hora, vou na valsa
A vida é tão rara

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência

O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara, tão rara

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat