Diferenças! Como nos comportamos diante delas?

Diferenças! Como nos comportamos diante delas?

Vamos iniciar esse escrito por algumas questões relacionadas ao conceito de Diferenças (substantivo feminino):

É a qualidade que permite que algo se distinga de outra coisa. O termo que deriva do latim differentia pode ser usado para mencionar a variedade de coisas de uma mesma espécie. Nesse caso, podemos usar como exemplo o automóvel – o automóvel X difere do automóvel Y pois o primeiro tem mais potência que o segundo.

A diferença, por conseguinte, é o contrário de igualdade ou semelhança. Quanto maior a quantidade de características ou qualidades não comuns, maior a diferença. Em outros termos: duas coisas ou duas pessoas muito parecidas apresentam escassas diferenças.

Além de tudo isso, a palavra diferença pode ser usada em outros vários âmbitos tais como: dissenso, controvérsia entre duas ou mais pessoas, ou seja, aqui estamos falando de diferenças de opiniões e perspectivas. Nesse âmbito podemos relembrar quantas relações já foram rompidas e ainda o serão pela falta de respeito pela opinião alheia! Lembram-se das últimas eleições, por exemplo? Quantas amizades foram rompidas? Várias.

Existem também as diferenças culturais, que são os diferentes costumes de uma sociedade desde a  vestimenta, culinária, manifestações religiosas etc.

Diferenças econômicas, que envolvem desigualdades econômicas  entre pessoas, países etc; estando também relacionado com a  distribuição de renda.

Face a esses vários contextos envolvendo Diferenças, pergunta-se  : por qual motivo as pessoas tem uma grande propensão de ao  invés de encarar as Diferenças como algo positivo, agregador, fato  gerador de inúmeros aprendizados e construção de novas coisas;  muito pelo contrário, repudiam, afastam, rejeitam, desamparam,  machucam, isolam tudo o que é diferente das referências delas?

E o mais preocupante é que não obstante por um lado termos  atingindo altos níveis de evolução tecnológica e científica ; por  outro ainda não aprendemos a lidar com as diferenças básicas,  corriqueiras e próximas do nosso dia-a-dia; a exemplo de lidar com uma pessoa que é alta, baixa, magra ou com excesso de peso, bonita, feia etc.

Achei excelente um comentário de um amigo meu quando conversávamos a esse respeito: “segundo ele parece ser mais fácil as pessoas conviverem com um astronauta que foi para lua do que com um cara que acorda cedo para trabalhar, toma o trem ou o ônibus, fica todo suado etc. Criamos um preconceito com o trabalhador, porém com o astronauta não. Sendo fato que os desafios do primeiro são iguais ou maiores que do astronauta que está em uma cápsula ou estação espacial.”

Vejamos que as desigualdades são gigantescas e a forma de encarar as diferenças é destituída de bom senso e sabedoria! O que gera isso? Violência e mais desigualdade, no mínimo.

Se verificarmos a fundo, a existência de Diferenças em nossas vidas, trata-se de um grande presente para crescermos em todos os aspectos! O que seria desse Mundo se todas as pessoas fossem exatamente iguais e/ou as coisas fossem iguais? Mesmos pensamentos, mesma forma de agir, mesmo ritmo de levar a vida? Seria com certeza uma monotonia, sem grandes aprendizados e; portanto descobertas.

Assim, face a um tema tão desafiador, não vislumbro outro caminho que não o de todos nós, adotarmos comportamentos, cujas ações minimizem as desigualdades acolhendo as diferenças, pois sabemos todos que o Mundo está extremamente desigual. Essas ações compreendem questões focadas em melhorar a educação e o acesso dela para todos, ações sociais, cidadania, sustentabilidade, caridade, voluntariado, compaixão, empatia, aumento de oportunidades, dentre outras.

Vamos todos refletir e pensar sobre isso? Há a necessidade de avaliar a importância de uma mudança comportamental face ao diferente seja para as gerações que já estão aí e/ou para as gerações que estão por vir.

É totalmente possível mudar comportamento para lidar com as diferenças, basta querer e principalmente tomar consciência desse cenário e praticar novos comportamentos que com um certo tempo tornar-se-ão novos hábitos de vida! Tal experiência é libertadora!

Por meio da nossa atividade, identificamos muitas pessoas que estão sofrendo por não conseguirem lidar bem com as suas próprias diferenças e/ou também com as diferenças dos outros. Chegam a nós várias queixas e tal fato traz muita infelicidade e ansiedade para todas as pessoas envolvidas.

Assim, por meio de técnicas, assessments, metodologias emergimos profundas reflexões por parte de nossos clientes que trazem um alto índice de aceitação do diferente. Também é comum conseguirmos fazer com que a pessoa aceite as suas próprias diferenças e utilize essas características como diferenciais e pontos de admiração e respeito dos amigos, familiares, colegas e da sociedade como um todo.

One thought on “Diferenças! Como nos comportamos diante delas?

  1. Claudia Nassif says:

    Artigo excelente, abordando um tema tão relevante. Parabéns! Adoro todos os seus artigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.